Sisu UFPE terá 6.972 vagas de graduação para o ingresso 2016.

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

 

Sisu UFPE aguarda cronograma do Mec para novas medidas.

A UFPE, Universidade Federal de Pernambuco, ofertará 6.972 vagas no Sisu,Sistema de Seleção Unificada, para o ingresso 2016 em 96 cursos presenciais de graduação dos campi Recife, Vitória e Agreste (Caruaru), das quais 50% serão reservadas ao sistema de cotas, atingindo o teto exigido pela Lei nº 12.711/2012. O número total de vagas supera o do ingresso 2015, que foi de 6.562, devido à inclusão no Sisu de vagas de cursos já existentes que eram oferecidas fora do sistema. O período de inscrição para o Sisu 2016 ainda não foi divulgado pelo Ministério da Educação (MEC).

As 410 vagas a mais se referem à segunda entrada do grupo Engenharias CTG (Recife) e do curso de Engenharia Civil (Agreste), que passam a ser oferecidos via Sisu devido ao fim do vestibular de meio de ano; Química – Bacharelado (Recife), que deixa de ter uma seleção específica; e Comunicação Social (Agreste), ofertado pela primeira vez em 2015.2 em um processo seletivo que considerou a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2012, 2013 ou 2014 fora do Sisu. Assim, serão totalizadas para o ano de 2016: 5.502 vagas para o Campus Recife, 430 vagas para o Centro Acadêmico de Vitória (CAV) e 1.040 vagas para o Centro Acadêmico do Agreste (CAA).

Todos os candidatos serão classificados com base na nota do Enem 2015. Os pesos e as notas mínimas serão os mesmos do ano passado. Segundo o pró-reitor para Assuntos Acadêmicos da UFPE, professor Paulo Goes, está em análise uma possível mudança dos pesos e das notas mínimas para o ingresso 2017, com definição até o dia 30 de abril de 2016.

Para o ingresso 2016, a UFPE mantém o argumento de inclusão regional para os estudantes que residem no entorno dos campi Vitória e Agreste. Ao optarem por cursos das unidades acadêmicas do interior, esses candidatos terão um acréscimo de 10% na nota final do Enem. O acréscimo terá efeito apenas classificatório, não sendo levado em conta na análise do atendimento de eventuais critérios eliminatórios.

Vale ressaltar que o argumento de inclusão regional destina-se exclusivamente a candidatos que tiverem cursado e concluído todo o Ensino Médio em escolas regulares e presenciais das mesorregiões listadas abaixo. Não será oferecido nenhum tipo de argumento de inclusão regional para os cursos do Campus Recife. Os candidatos que forem possíveis beneficiários tanto do argumento de inclusão regional quanto da política de cotas deverão optar, no ato da inscrição, por uma dessas duas ações afirmativas, não sendo permitida a aplicação cumulativa delas.
A partir de 2016, o curso de Engenharia de Produção (Recife) deixará o grupo Engenharias CTG (Recife). Permanecerão os seguintes cursos: Engenharia Civil (Recife), Engenharia de Alimentos (Recife), Engenharia de Controle e Automação (Recife), Engenharia de Energia (Recife), Engenharia Eletrônica (Recife), Engenharia Elétrica (Recife), Engenharia Mecânica (Recife), Engenharia de Materiais (Recife), Engenharia de Minas (Recife), Engenharia Naval (Recife) e Engenharia Química (Recife).

Os cursos presenciais de Música/Canto – Bacharelado, Música/Instrumento – Bacharelado, Música/Licenciatura e Dança/Licenciatura não participarão do Processo Seletivo UFPE/Sisu 2016. O ingresso para esses cursos será regido por processo seletivo específico, no qual se utilizarão a nota do Enem e as provas aplicadas pela Comissão de Processos Seletivos e Treinamentos (Covest/Copset).

Mesorregiões de inclusão regional

I – Mesorregião da Zona da Mata pernambucana, formada pelos municípios de: Aliança, Buenos Aires, Camutanga, Carpina, Condado, Ferreiros, Goiana, Itambé, Itaquitinga, Lagoa de Itaenga, Lagoa do Carro, Macaparana, Nazaré da Mata, Paudalho, Timbaúba, Tracunhaém, Vicência, Chã de Alegria, Chã Grande, Glória do Goitá, Pombos e Vitória de Santo Antão, Água Preta, Amaraji, Barreiros, Belém de Maria, Catende, Cortês, Escada, Gameleira, Jaqueira, Joaquim Nabuco, Maraial, Palmares, Primavera, Quipapá, Ribeirão, Rio Formoso, São Benedito do Sul, São José da Coroa Grande, Sirinhaém, Tamandaré e Xexéu.

II – Mesorregião do Agreste pernambucano, formado pelos municípios de: Águas Belas, Buíque, Itaíba, Pedra, Tupanatinga, Venturosa, Angelim, Bom Conselho, Brejão, Caetés, Calçado, Correntes, Garanhuns, Iati, Jucati, Jupi, Jurema, Lagoa do Ouro, Lajedo, Palmeirina, Paranatama, Saloá, São João, Terezinha, Canhotinho, Agrestina, Altinho, Barra de Guabiraba, Bonito, Camocim de São Félix, Cupira, Ibirajuba, Lagoa dos Gatos, Panelas, Sairé, São Joaquim do Monte, Alagoinha, Belo Jardim, Bezerros, Brejo da Madre de Deus, Cachoeirinha, Capoeiras, Caruaru, Gravatá, Jataúba, Pesqueira, Poção, Riacho das Almas, Sanharó, São Bento do Una, São Caetano, Tacaimbó, Casinhas, Frei Miguelinho, Santa Cruz do Capibaribe, Santa Maria do Cambucá, Surubim, Taquaritinga do Norte, Toritama, Vertente do Lério, Vertentes, Bom Jardim, Cumaru, Feira Nova, João Alfredo, Limoeiro, Machado, Orobó, Passira, Salgadinho e São Vicente Férrer.

Link site Sisu Mec

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *