Comerciários recebem aumento salárial

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

LUCIANA MOROSINI

Os 100 mil trabalhadores do Recife ligados ao comércio têm motivo para comemorar. Depois de mais de 30 dias de negociação com o Sindicato Patronal, foi aprovado ontem o reajuste de 8,91%. Isto significa que o piso salarial passou de R$ 505 para R$ 550. A ajuda alimentação também sofreu aumento, de 5,71%, passando de R$ 35 para R$ 37. Os reajustes, retroativos, já passam a valer desde 1º de julho, data base da categoria.

A proposta inicial do Sindicato dos Comerciários era de reajuste de 15%, baseado nas perdas dos últimos anos. Mas, mesmo com o aumento abaixo do pleiteado, o presidente da entidade, Severino Ramos, comemorou o percentual alcançado. “Ainda estamos muito longe da realidade, mas conseguimos muito mais do que outras categorias, principalmente levando em consideração esses tempos de crise. O aumento ficou acima da inflação do comércio, de 5,3%”, afirmou.

Outra conquista, de acordo com o presidente, foi o aumento do salário piso para os empregados temporários. Atualmente, o valor é de um salário mínimo, R$ 465. A partir de 1º de julho até dezembro, o salário será de R$ 490, que representa um reajuste de 5,38%. A partir do próximo ano, com a expectativa de reajuste no salário mínimo pelo Governo Federal, os temporários passarão a receber R$ 520.

“Esse salário base é um estímulo para quem está procurando um primeiro emprego ou para quem está afastado do trabalho no comércio há tempo. Nosso objetivo é fazer com que cada vez mais os temporários, que são contratados por 30, 60 ou 90 dias, passem a se fixar nos empregos”, disse o presidente.

Severino Ramos ainda ressaltou outra conquista alcançada há mais tempo pelo Sindicato dos Comerciários. “Pela lei, as gestantes têm direito à garantia-emprego por quatro meses, mas já tramita uma lei para aumentar a licença em mais dois meses. Apenas as grávidas das áreas públicas conseguiram o benefício. Mas, no comércio, faz cinco anos que as gestantes têm garantia-emprego de seis meses”, concluiu.

Fonte: folhape

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *