Procurador pede cassação de Yves

Tempo de leitura: menos de 1 minuto


Procurador pede cassação de Yves

RENATA BEZERRA DE MELO

O procurador regional eleitoral, Fernando Araújo, ofereceu, na última terça-feira, parecer pela cassação do prefeito de Paulista, Yves Ribeiro (PSB). O processo de número 9.050 ainda vai a julgamento no pleno. Caso a postura da Procuradoria seja mantida, o indicado para assumir a administração municipal seria o segundo colocado nas eleições 2008, Antônio Speck. É dele a autoria da Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (AIME). Ele alega fraude eleitoral do adversário por eleições consecutivas.

A diferença entre os dois, no ano passado, foi de pouco mais de 800 votos. Yves venceu com 49.180 votos, enquanto o petebista obteve 48.313 votos. Como ninguém obteve mais de 50% dos votos válidos, não seria necessária a realização de um novo pleito, conforme prevê a legislação.

Apesar do processo correr em segredo de justiça, a pedido de Yves, a postura da Procuradoria é confirmada por protocolo publicado no site do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), em que consta, com data do último dia 7: “Juntada do Parecer da Procuradoria Regional Eleitoral n° 319/2009/ GAB/PRE/PE, opinando pelo provimento do recurso, com a consequente invalidação dos mandatos eletivos conferidos aos recorridos”.

Em reserva, fontes ratificaram que a irregularidade cometida por Yves está no fato de que ele teria trocado de domicílio por três vezes consecutivas como manobra para emendar uma candidatura na outra. Reeleito, no ano passado, por Paulista, Yves já teria se utilizado dos mesmos moldes para administrar Itapissuma e Igarassu.

A decisão desfavorável ao prefeito, proferida pelo procurador, seguiria a orientação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que teria, em dezembro passado, configurado essas eleições consecutivas como fraude. O juiz da primeira instância havia indeferido a ação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *