Olinda anuncia data e programação do 2.º Festival da Cerveja Artesanal.

Tempo de leitura: 2 minutos

Olinda anuncia data e programação do 2.º Festival da Cerveja Artesanal

Olinda anuncia data e programação do 2.º Festival da Cerveja Artesanal

Olinda vai receber o 2.º Festival da Cerveja Artesanal. Os apreciadores da cerveja artesanal ou quem quiser saborear a bebida pela primeira vez já deve anotar a data do evento ocorre nos dias 30 e 31 de agosto com término no dia primeiro de setembro, na Praça do Carmo. No local, serão montadas estruturas como palcos para apresentações culturais, estandes para comercialização das cervejas, feirinha de artesanato, área kids e praça de alimentação.

O Festival é promovido pela Secretaria de Patrimônio, Cultura,Turismo e Desenvolvimento Econômico de Olinda em parceria com a Associação Pernambucana das Cervejas Artesanais (APECERVA). Esse ano, o evento conta com de 20 participantes. Além de produções pernambucanas, a programação vai promover a divulgação de cervejas artesanais de outros estados.

O objetivo do evento é gerar impacto na economia do município e valorizar a cultural local, com músicas como rock, samba, coco, frevo, MPB, maracatu e outros.

Na sexta-feira (30.08), o 2º Festival de Cerveja Artesanal de Olinda começa a partir das 16h com as bandas Coco de Seu Mané, Leide do Banjo e Seu Lunga entre outros. Já no sábado, dia 31 de agosto, terá um cortejo na própria Praça do Carmo, com orquestras de frevo, depois tem apresentação da banda LaTrinca e cover de Reginaldo Rossi e banda Tributo. No último dia do Festival, a programação começa mais cedo às 14h com cortejo de Maracatu, banda Café Preto, e Junior Chumbago e família.

Entre as cervejarias artesanais que estarão presentes no 2º Festival, as pessoas podem conferir marcas como: Duvália, Capunga,Seis Punhos, Navegantes, Beer Level e outras.

CURIOSIDADE

De acordo com especialistas, a principal diferença entre a cerveja industrial e a a artesanal (também chamada de gourmetizada) é o processo de produção e fabricação. Na industrializada, geralmente se utiliza 60% de malte (grãos selecionados como a cevada) e se acrescenta outros cerais e produtos químicos para diminuir os custos de produção. Já a artesanal é realizada com ingredientes mais selecionados. Há maior teor do malte e demora na fermentação.

Fonte: Sec. Imprensa de Olinda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *